Jovens começam a ter problemas na coluna típicos dos mais velhos

“Hoje, pessoas na faixa dos 19, 20 anos de idade reclamam de problemas na coluna que até uma década atrás eram comuns em maiores de 50. Não bastasse isso, há um aumento na procura por cirurgia de coluna entre quem tem 35, 40 anos devido a complicações que antes eram vistas apenas em pacientes com 60, 65 anos”, compara o ortopedista especialista em cirurgia de coluna João Bergamaschi, coordenador da pós-graduação em cirurgia endoscópica da USP e diretor da Clínica Atualli Spine Care. Há várias explicações por trás disso. A genética é uma delas, já que problemas na coluna podem passar de pais para filhos. Também não dá para negar que o maior acesso à saúde diminuiu a tolerância das pessoas à dor, incentivando a busca por um especialista quando o incômodo aparece. Mas, são as mudanças no estilo de vida que chamam mais atenção. Ser sedentário e passar mais da metade do dia sentado, no trabalho e, depois, em casa, diante da tevê, do celular ou do videogame, são situações que provocam sobrecarga na coluna e levam à perda e enfraquecimento da musculatura que dá apoio às costas e ao abdome. “A atividade física tem peso enorme na prevenção do problema, a ponto de fazer com que um obeso ativo fique menos suscetível a ter complicações nas costas do que um magro sedentário”, afirma o doutor João Bergamaschi.

Já quando há a indicação de operar, uma decisão que leva em conta a intensidade da dor e a incapacitação que ela provoca, a cirurgia endoscópica tem se destacado. “Apesar de existir há mais de dez anos, a técnica vem sendo realizada no Brasil de forma mais significativa nos últimos três anos porque mais centros de saúde tem oferecido o método, mais cirurgiões têm se especializado nele e o paciente o prefere por ser seguro, tranquilo e ter rápida recuperação. Para ter uma ideia, a intervenção é realizada em ambulatório, em 15 a 30 minutos, a pessoa vai para casa andando duas horas depois, retoma o trabalho a partir de três dias e pode começar a se exercitar após uma semana. E, vale ressaltar que uma vez realizada a cirurgia endoscópica, as chances do paciente voltar a ter problemas na coluna, mesmo que ele não faça nada para se prevenir, giram em torno de apenas 5%”, completa o cirurgião.

 

 

Texto e imagem cedidos por: Vanessa Mastro Assesoria de Imprensa e Comunicação, enviado por Vanessa Mastro em 08/07/2020.

 

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *