Erros alimentares de 2020 não devem persistir em 2021

Com o início de novos ciclos, muita gente aproveita para colocar as metas em dia, e fazer diferente no ano novo, em diversas áreas da vida.

E quando falamos em alimentação, a mudança pode ser mais fácil para uns do que para outros. “Quem já estava acostumado a manter uma boa rotina de alimentação normalmente não sofreu muito com as mudanças ocasionadas pela pandemia e o período de férias, pois mesmo com alguns deslizes na dieta, elas conseguem voltar para a alimentação normal com o tempo. O problema é quem não tinha uma boa alimentação, piorou com a quarentena e agora está sofrendo com as consequências”, afirma o médico gastroenterologista Bruno Sander.

O ano de 2020 foi um período bem atípico que evidenciou muitos problemas, elevou o estresse e a ansiedade das pessoas e interferiu até mesmo em alguns sonhos que estavam em andamento. Isso acarretou em muitas pessoas o sentimento de usar a alimentação como “válvula de escape” e as taxas de sobrepeso começaram a subir. A situação fica ainda pior quando evolui e acarreta em outras doenças, como a obesidade.

Um dos principais erros das pessoas foi em relação ao consumo exagerado de alimentos ruins para a saúde. “O sedentarismo ocasionado pela quarentena também foi péssimo para quem queria e precisava emagrecer naquele momento. Apesar de muitas pessoas optarem pelos exercícios em casa, muitas não tinham a mesma persistência ou disposição para esse hábito, e com as academias na maior parte do ano fechadas, ficou tudo ainda mais difícil”, opina Bruno.

Mas a boa notícia é que dá pra recuperar e começar a ter uma vida leve e saudável novamente. E os erros cometidos no último ano podem  ser utilizados como lição no processo de reeducação alimentar.

Comece por fazer um balanço para planejar e ver o que te influenciou no descontrole. Foi o excesso de alimentos industrializados? O excesso de alimentos ricos em carboidratos refinados? As bebidas alcóolicas? Em cada caso, a situação pode ser diferente. 

O ideal nesse momento pode ser retirar esses alimentos por algum tempo da sua vida, por algumas semanas ou até meses. Para quem não precisar perder tanto peso em números na balança, o corpo pode desinchar, quando deixar esses alimentos de lado.

Preze também por atividades que o relaxem, e que não envolva sempre a comida no meio. Se for difícil, tente ao menos reduzir o número das porções durante esses momentos, ou divida com outras pessoas. 

Mas se o seu problema for realmente sério e o excesso de peso já for algo que está atrapalhando a sua saúde, a ajuda profissional é a melhor pedida. Em Belo Horizonte, a Sander Medical Center oferece tratamentos como nutrição, com atendimento realizado por profissionais da área. “Possuímos diversos tratamentos, como o balão intragástrico, em caso de pacientes com um grau considerável de obesidade, e o Overstitch, que é a redução de estômago feito por endoscopia, método menos invasivo já que não necessita de cortes”, completa o Dr. Bruno Sander.

Para quem corre o risco de desenvolver obesidade ou já é vítima da doença, graças à modernidade, existem muitas opções de tratamento seguros para iniciar o ano mais saudável. 

E lembre-se: o primeiro passo é buscar o médico, e, após avaliação, a melhor opção dada pelo profissional é aquela ideal para o seu tratamento.

Fonte: Bruno Queiroz Sander é médico cirurgião endoscopista, especialista em gastroenterologia e tratamentos contra a obesidade. É diretor do Hospital Dia Sander Medical Center, em Belo Horizonte (RQE: 14270/32354/41292

Texto e imagens cedidos por: Letra Comunicação e Marketing, enviado por Déborah Ribeiro em 01/02/2021.

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *