Cuidados com a Gravidez durante a quarentena

“Até o momento, não há registro de casos confirmados de transmissão da mãe para o bebê durante a gestação, nem contaminação do leite materno”

 

O crescente número de casos confirmados de coronavírus no Brasil e a escassez de estudos amplos sobre a doença, que é muito recente e se espalha com velocidade, têm causado insegurança a gestantes e pais de crianças pequenas. Será que a gravidez deixa as mulheres mais suscetíveis ao vírus?

Trouxemos para você, uma publicação da revista CRESCER, que consultou guias internacionais e ouviu o infectologista Francisco Ivanildo, do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, para responder a essas e outras perguntas, a partir do que já se sabe sobre o coronavírus. Veja:

Um guia divulgado esta semana pelo Colégio Real de Obstetrícia e Ginecologia do Reino Unido aponta que as mulheres grávidas não parecem ser mais suscetíveis às consequências do coronavírus do que a população em geral. Também não há evidências de que o vírus possa passar para o bebê durante a gravidez.

Já o CDC, agência norte-americana de controle e prevenção de doenças, discorda. Para especialidades da entidade, mulheres grávidas correm maior risco de infecção e doenças graves devido a alterações fisiológicas e imunológicas em seus corpos. E embora os dados sobre o Covid-19 ainda sejam limitados, elas devem ser consideradas um grupo de risco.

Ainda segundo o CDC, já foram relatadas perdas gestacionais de mulheres infectadas com outros tipos de coronavírus, mas não é possível dizer que há o mesmo risco para infectadas pelo Covid-19. Na China, há ainda relatos de partos prematuros em mulheres com Covid-19, mas também não é possível dizer se os partos foram espontâneos ou indicados como forma de precaução.

“A divergência de recomendações reflete uma diferença no olhar dessas duas escolas, tendo o Reino Unido uma tradição de atendimento mais desmedicalizado e os Estados Unidos o oposto. Não existe certo e errado. Não há estudos comparativos ainda e os guias são baseados na opinião de especialistas”, explica Francisco.

O especialista, no entanto, sugere o aumento da precaução durante a gravidez. “O fato a que precisamos ficar atentos é o de que, apesar de não ter evidência suficiente sobre essa epidemia, a condição da gestante é sempre uma preocupação. A gravidez, seja pelas alterações metabólicas ou hormonais, ou pela restrição mecânica do aparelho respiratório, por conta do crescimento da barriga, coloca as mulheres em um grupo que adquire formas mais graves de doenças respiratórias quando é infectado. Não há certeza se isso ocorre com o coronavírus, mas é importante aumentar a precaução”, diz.

 

Como se proteger?

– Lavar as mãos regularmente;

– Cobrir a boca ao tossir e espirrar;

– Ficar em casa se estiverem doentes;

– Evitar contato com pessoas doentes;

– Evitar tocar o rosto.

 

 

FONTE: Revista Crescer (Acessado em 27/04/2020 – https://revistacrescer.globo.com/Gravidez/Saude/noticia/2020/03/coronavirus-como-ficam-gravidez-amamentacao-e-os-cuidados-com-o-recem-nascido.html)

IMAGEM: Freepik.

 

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *